sábado, 18 de julho de 2009

Ao Mestre com Carinho

video

Adoro este filme e o Ator Sidney Portier, este é apenas um trecho... pra você minha Amiga Professora Aisha. Sinta os olhares é bárbaro!

Beijalila's!

Gracinha

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Encerrrando Ciclos

Ao Mestre com Carinho

Para minha querida Professora Amiga, Amiga Professora Aisha Jalilah


Encerrando Ciclos


Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final...Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações? Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu....Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado. Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar. As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora...Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração... e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se. Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais. Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do "momento ideal". Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.


Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..E lembra-te:Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão.

Fernando Pessoa

Este texto fez parte da minha vida e continua fazendo...

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Sola, Soletude, Solo

Seguindo uma dica de uma Grande Amiga a Pat aqui vai ...
A responsabilidade foi grande, tenho vários motivos pra não ter feito meu solo. Primeiro meu trabalho em uma fase nova onde tudo no escritório dependia de mim, pois começava a montá-lo. Também estou aprendendo a ser mãe de adolescente, fase delicada... muitas amigas começam a terem seus filhos agora e eu com uma boa filha, mas adolescente. Tudo na minha vida começou muito cedo, principalmente as responsabilidades. Então procurei não me sabotar. Quem gosta de ficar exposto? Entendi que muitas vezes você tem sim. Através da dança percebi que mostro pra todos como faz bem pra mim. As pessoas que fazem diferença na minha vida querem me ver feliz. A responsabilidade da coreografia e que mais me preocupava, entrei em pânico. Chorei! Porque não precisava me meter nisso?Tanta gente querendo fazer este solo... E talvez com a coreografia pronta... Dancei no banheiro, no elevador, na garagem, no carro, no trabalho, na rua, no mercado, na cama, no sofá, na escada (fiz muito contratempo nela), ... Às três da manhã, seis da manhã, de pijama, de camisola... à tarde e noite, descalça e de salto... sem falar no Studio Aluaha em todas as salas. A música também ouvir de todo jeito e áudio que dispunha. Eu me sentia sozinha e compreendi o que seria esta soletude, sola, solo, só eu. Mudava os passos todo hora, mais saiu a coreo. Ai a minha professora querida não podia assistir e disse uma semana antes por compromissos, que entendo... mas não entendo. A minha filha amada que me dá a maior força pra eu fazer a dança... apareceu aquela viajem maravilhosa com as amigas (que sei que marcará a vida dela pra sempre), também não poderia ir. Fiquei muito triste com isso, tentei não demonstrar (sempre consigo), entendi. Minhas amigas Aisha, Andréia, Betinha, Pat, Denise, Val, Michelli, Camila, Gabi, Tekinha, Rose, Sonhinha, Cintia, Lucia e todo o Studio Aluaha, OBRIGADO pelo incentivo. Descobri uma coisa que quero participar pra todos, depois de tudo isso a dança do ventre não e mais só uma terapia pra mim. Agora... quero aprender mais. As Aventuras da Gal Jalilah continuarão, escreverei mais sobre isto. Grandes Beijos!Gal Jalilah

domingo, 12 de julho de 2009

Emoções

Sou movida por música estou me sentindo assim ”...se chorei ou se sofri o importante e que emoções eu vivi...”
Muitas músicas não me sai da cabeça desde ontem, olha que letra. É pra vocês amantes da Dança do Ventre, minha declaração de amor. Minhas amigas queridas e companheiras Andreia, Betinha e Pat.

Quase Sem Querer
Renato Russo

Tenho andado distraído, Impaciente e indeciso E ainda estou confuso.Só que agora é diferente: Estou tão tranquilo E tão contente. Quantas chances desperdicei Quando o que eu mais queria Era provar pra todo o mundo Que eu não precisava Provar nada pra ninguém. Me fiz em mil pedaços Pra você juntar E queria sempre achar Explicação pro que eu sentia.Como um anjo caído Fiz questão de esquecer Que mentir pra si mesmo É sempre a pior mentira. Mas não sou mais Tão criança a ponto de saber tudo. Já não me preocupo Se eu não sei porquê Às vezes o que eu vejo Quase ninguém vê E eu sei que você sabe Quase sem querer Que eu vejo o mesmo que você. Tão correto e tão bonito O infinito é realmente Um dos deuses mais lindos. Sei que às vezes uso Palavras repetidas Mas quais são as palavras Que nunca são ditas? Me disseram que você estava chorando E foi então que percebi Como lhe quero tanto. Já não me preocupo Se eu não sei porquê Às vezes o que eu vejo Quase ninguém vê E eu sei que você sabe Quase sem querer Que eu quero o mesmo que você